A primeira gaveta

Republicando o post e participando da blogagem coletiva lá no Calma, que estou com pressa!
A primeira vez que vi uma gaveta transformada, logo que comecei a conhecer outros blogs, foi no Além da Rua Atelier, da Verônica, que para mim é de muita inspiração para reutilizar objetos, transformando-os em móveis. Depois fui encontrando gavetas em vários outros blogs, dentre eles o Multiartes, da Rosali. E agora, enfim, também transformei uma gaveta.
 Achei a gaveta abandonada na casa que minha irmã comprou. Ela estava assim:
Usei meu presente de dia das mães e cortei dois pedaços de MDF para fazer prateleiras.
Fiz furos nas laterais e coloquei pinos para segurar as prateleiras.
Como não era de madeira maciça, resolvi mesclar entre pintura branca e forração de tecidos, seguindo os princípios e PAP que usei aqui e aqui.
E a Kerstin que, de início, achou que fosse um projeto esquisito, logo reivindicou que fosse feita pro banheiro dela, como extensão do armário que já não dava conta de tudo… e os detalhes vermelhos do banheiro determinaram a escolha do tecido.
E já achei mais gavetas… aguardem – foi uma aventura com a Sandra!
A gaveta foi lá participar no Calma que estou com pressa, em comemoração ao Dia do Meio Ambiente!

Caixa organizadora + PAP

Minha mãe tem uma antiga máquina de costura aqui na praia – uma relíquia dos anos 50, que mostrei aqui.

Pois bem, essa semana ela aproveitou uma caixa de papelão para organizar suas coisas de costura por aqui. Vejam como ficou – achei que ficou parecendo um cesto forrado! A vantagem de fazer desse jeito, sem cola é que se a caixa estragar, dá pra trocar; se o tecido sujar, dá pra lavar…

É muito fácil de fazer – segue o PAP, com fotos que fiz enquanto ela montava a caixa.
1) Recorte as abas da caixa – e guarde, pois vai precisar depois (vale qualquer caixa, não estou fazendo propaganda pro café, rsrsrs)

2) Faça um “saco”, cujo fundo tenha as medidas do fundo da caixa e o restante pode ser feito mais largo, para dar o efeito “fofinho” (minha mãe usou um sobra de tecido de lençol, mas vai ficar bem legal com chita, por exemplo!)

3) Na outra ponta do “saco” faça uma bainha e passe um elástico, que será ajustado na parte inferior da caixa.

4) Vista a caixa com o fundo do saco na parte interna

5) Ao fundo, ajuste  elástico

6) Monte e forre as sobras do papelão, verificando a medida do fundo. Essa parte servirá para firmar o tecido no fundo da caixa.

Coloque uma cordinha, ou faça uma tira com o próprio tecido para dar o toque final!!! E pronto, pode guardar suas coisas!!!

E aqui continua a Galeria de Criações Compartilhadas. Clique, confira e participe! 

Guirlanda para a casa de praia

Esse post eu publiquei em janeiro de 2011. Agora, aproveitando a Galeria de Criações Compartilhadas: Verão, praia e cia., republico, deixando aqui a sugestão fácil, de uma guirlanda para fazer na praia. Fica, ainda, a sugestão de olharem o post da Margarete, do blog Margarete Arquitetando, no qual ela fala sobre o uso de guirlandas o tempo todo. Aliás, ela faz guirlandas lindas (aqui tem mais!)

Texto original do post, em 09/01/2011

Esses dias a Anna Lúcia, do Blog Sei lá, muitas coisas… comentou das guirlandas que podiam ficar o ano todo. Concordo – e me inspirei para fazer uma com cara de praia…

Com conchinhas e uma base de madeira, saiu uma guirlanda para substituir a de Natal que ainda estava aí.

Guirlanda de conchas (Marion, 2011)
É só pintar a peça de madeira com base branca, depois usei o PVA azul índigo, lixar desgastando as bordas, dar acabamento com verniz acrílico. Pronto! Escolher e colar as conchas (com cola quente) foi o divertido!!!

E, claro, esse post vai para a Galeria – clique e participe também!

Joaninhas para a Galeria + PAP!

Lembrei de um molde enquanto organizava a Galeria de Criações Compartilhadas n° 4: joaninhas e ciaque encontrei no livro Das große Buch der Fensterbilder: Die schönsten Ideen rund ums Jahr. No livro é feito de papel, mas eu o adaptei para EVA, há alguns anos, quando fiz este o móbile de joaninhas com as flores brancas (abaixo).
Vou mostrar com o EVA, mas o mesmo molde pode ser usado para fazer joaninhas de papel, cartolina, de tecido para patchcolagem, patch embutido e outras ideias que você pode ter! Mostro a joaninha, mas incluo outros desenhos para que possa fazer composições variadas!
Material: EVA vermelho e preto – dá pra fazer 15 joaninhas com aqueles pedaços de EVA vendidos no tamanho A4 (210 X 297mm); e o genérico para artesanato: tesoura, cola, lápis…e se quiser, arame, linhas e miçangas.
1) Recorte o Molde: o desenho foi feito em uma folha A4 – portanto, se você ampliar e imprimir em papel A4, estará no tamanho que mostro aqui! Após imprimir faça um molde em papelão, pois fica mais firme para riscar no EVA.
2) Risque sobre o EVA, recorte. Use um furador para fazer as bolinhas. Para cada joaninha você precisa de uma parte preta e duas vermelhas. Assim, ela fica igual, olhando de qualquer um dos lados!
3) Para montar faça um “sanduíche”, deixando a parte preta no meio. e cole. Se for passar um fio, inclua-o no “sanduíche”! E, por último, cole as bolinhas.
4) PRONTO! Agora você pode usar as joaninhas de várias formas. Veja algumas ideias abaixo!
MÓBILES
  PORTA-GUARDANAPO
MARCADOR DE PÁGINA
PONTEIRA PARA ENFEITAR VASO
Essa ponteira fiz pensando na Chica, nossa amiga que apare com a joaninha em nossos blogs – e tem 11 blogs!!! Para esta joaninha, usar duas partes pretas para “esconder” o palito e as antenas, feitas de arame. Ademais, tudo igual!

Almofada de recordações + PAP

Mais duas almofadas de recordação ficaram prontas. E, ao fazer a última, fiz um PAP. Quem sabe alguém se anima a fazer um presente de Natal personalizado?
 (Nas imagens, as fotos estão propositalmente desfocadas, só para colocar aqui, pois não são minhas, ok? No original, estão bem nítidas!)
Esta foi para um menino de 9 anos.
Esta, para uma amiga…
Vou mostrar um PAP do meu jeito – sem instrumentos especiais, sem máquina de pesponto… para algumas pessoas, será o óbvio. Para outras, quem sabe ajuda!
1) Montagem das fotos: eu faço no power-point e salvo como figura depois; mas você pode usar qualquer programa em que possa editar figuras. Pode ser uma foto apenas ou quantas quiser e conseguir incluir! Também pode ser mantida a cor original, ou transformar em preto e branco, sépia, dentre outros. Para almofadas de 40X40cm, faço a montagem de 25X25cm.
2) Impressão da montagem: eu faço impressão direta. É mais cara, mas é um tipo de impressão que pode ser passada e lavada… e não estraga. Eu levo a montagem e o tecido na empresa que faz a impressão. Como passar o tecido ao fazer patchwork é importante, essa é uma impressão interessante. Mas também pode ser usado o transfer, feito em casa ou naquelas casas que imprimem em camiseta e outros objetos. 
3) Escolha dos tecidos: as cores das imagens dão a pista para escolher os tecidos… as preferências da pessoa também podem ajudar. Veja que nesta, do menino, foram utilizadas 4 estampas; já na outra, apenas 2 tipos de tecido. Podem ser mais estampas também…
Ah, e não esqueça de lavar o tecido antes de usar – isso evita que ele encolha depois e fique deformado (quando o trabalho é lavado).
4) Cortar as tiras para fazer o patchwork: Vejam que meu instrumental é aquilo que todo mundo tem em casa. Claro que, quem tem aquelas bases com medidas, o cortador circular… deve facilitar! Neste caso, a largura foi de 5cm. O ferro precisa estar sempre ali – pois o tecido liso facilita o trabalho e garante o bom acabamento.
5) Costura: sempre coloque o direito do tecido sobre o direito do outro para costurar. Se errar, vai ter que abrir, como foi meu caso nesse dia…! A costura deve ser na mesma distância da borda, em todas as partes costuradas, para não ficar fora do esquadro!
6) Preparo para o pesponto: após concluir a parte da frente da almofada, fazer um “sanduíche”, colocando uma manta acrílica entre a parte trabalhada e um forro. Assim com o pesponto – que eu faço a mão porque não tenho a máquina pra isso – dá o efeito do fofinho. Mas antes, alfinete e faça uns pontos grandes para firmar o tecido!
7) Parte de trás: para fazer no formato envelope, prepare duas partes, de forma que uma fique sobre a outra. Faça todos os detalhes antes de fechar – nesse caso, fiz um bolsinho e uma alcinha para o botão. O fechamento deve ser feito com o direito da parte de trás sobre o direito da parte da frente!
8) Acabamento: Ainda podem ser colocados outros acessórios, como nesta de minha amiga, na qual coloquei um botão da Duna Atelier… depois é só virar, fazer uma almofada simples com enchimento (uso plumante de fibra siliconada) e pronto!
 
Já mostrei essa ideia da almofada de recordações em outros post. Veja aqui.

E achei muito legal que a Bárbara do blog De.Cor.Ação e a Fernanda do O melhor é fazer, já se inspiraram e fizeram suas almofadas. Dêem uma espiada lá! Então, quem fizer, mostra depois! E a próxima Galeria de Criações Compartilhadas, será de fuxicos, patchwork,  costuras e afins… e poderão estar lá!
Por enquanto, participe da Galeria das joaninhas… clique no selinho!

Banco amarelo (com muita história) + PAP – republicando…

Estou republicando o post de hoje, com o resultado do sorteio entre a turma que participou da BC Esmalte + Música da Fernanda Reali e comentou no meu post. Terminei agorinha a guirlanda que vai pra sorteada… Combinou bem com o banco amarelo (história abaixo)!

A sorteada da rodada foi a do comentário número 23, a Mari Hart, do blog Diário de uma mãe polvo, que conheci na BC Esmalte.  O blog dela cheio de histórias reais e cheias de emoção (e só vi algumas até agora!). Ela participou pela primeira vez e pintou a unha do jeito filha única – confiram aqui!!!
Obrigada a todas que passaram aqui elo meu blog, comentaram e participaram do sorteio(zinho)!
________________________________________________________________________________

A vida toda meus pais moraram em casa. Na última delas, por quase 20 anos. Agora, moram em um apartamento. Eu não morei nessa, mas temos muitas histórias desse tempo. Minha filha e meus sobrinhos da mesma faixa etária a conheceram como a casa da Omi e do Opi.

Um dos lugares preferidos era a área da churrasqueira e da piscina. Por isso, desde pequenas, as crianças aprenderam a nadar… nessa época da foto, com 6 meses, a Kerstin estava na aula para bebês.
Na área da churrasqueira tinha alguns bancos. Quando meus pais colocaram a casa à venda, pedi pra resgatar um – e ficou parado na garagem da minha ex-casa, esperando para ser pintado uns 2 anos… mudamos e ele veio – ainda sem pintura – pra cá, e assim estava até ontem… Tem o tamanho exato do espaço que há em frente a janela/porta do atelier (que está aqui), que dá pro terraço do apartamento.
Ainda não havia pintado por não saber a cor… e decidi pelo amarelo. Uma das inspiracões do amarelo foi o fofo e famoso criado mudo amarelo da Verônica, que aparece novamente no seu novo espaço do blog – suas respostas às Dúvida dos Leitores (aliás ela tem PAPs muito mais detalhado do que o meu!).
E, ontem mesmo, logo depois de terminar a pintura, vi que a Margarete postou sobre o amarelo que lembra o sol… E foi esse o efeito: iluminou o cantinho. Hoje, mesmo com a chuva, tá alegre!

É muito fácil transformar um banco assim. Você tem um banquinho guardado na garagem, na churrasqueira, da despensa? É só fazer assim:
1) Lixar

2) Pintar com base branca: usei uma mão de PVA e depois uma mão de esmalte branco à base de água. Usei rolinho de espuma pra pintar tudo. Entre cada mão de tinta, lixar!

3) E, por último, duas mãos do amarelo: usei a cor Quindim (Suvinil), esmalte à base de água. Aliás, comprei numa loja nova, que tem um atendimento diferenciado – a Conteúdo Cores. Só assim cheguei bem na cor que eu queria! Gostei!

E enquanto eu pintava, a Kimy estava por ali. Pisou na tinta, derrubou um pote de água… e achou uma caixinha pra descansar bem do ladinho… mal cabia na caixa!!!

Ah, e ontem também foi dia de mudança de cores e layout aqui no blog…o que acharam?
E lembre-se do que está rolando por aqui… clique e participe!
     
Esse post está no Mosaico da Casa Corpo e cia.

Internet + esmalte e um mural (PAP)

O tema da blogagem coletiva do blog da Fernanda Reali hoje, é internet + esmalte. Pois bem, como a maior usuária de internet aqui em casa é minha filha e também é a que está sempre com as unhas feitas e em dia (porque eu não consegui fazer ainda essa semana….), resolvi postar uma foto das mãos lindas dela…
hoje está com o esmalte Maria Flor, da Impala.
Claro que eu também sou plugada, no twitter: @CreutzbergM – e-mail: [email protected] – facebook: Marion Creutzberg – e outros mais…
Aqui ela estava no computador de mesa, no quarto dela. Vejam que ao lado da bancada tem um mural – e quero aproveitar para dar a dica de como fazer.
Eu o fiz pintando esse “quadro” direto na parede, com a tinta Magic Primer, da Suvinil (não se existe de outras marcas). É uma tinta imantada – e assim dá pra fazer paredes inteiras que viram mural! É muito fácil de pintar – como qualquer outra tinta! Para delimitar o espaço, usei fita crepe, que tirei ao final.
Nós resolvemos deixar na cor natural do Primer – mas a gente pode, após secagem (eu passei 5 demãos para fixar melhor os imãs, mas com 2 já funciona!), pintar com a cor da parede – e aí fica um “mural mágico”, pois ninguém verá que tem tinta imantada!

E vejam que funciona bem…!
E se quiserem ver outras coisinhas mais, feitas por nós no quarto dela, é só conferir aqui.

E, ainda, alguns post de amigas blogueiras sobre murais e quadros de lembretes…
Casa de Retalhos: a Regina mostrou quadros magnéticos como forma de se organizar!
Casa de Fifia: ontem a Edna mostrou quadros de escrever e também comprou tinta para fazer um…
Margarete arquitetando: dia desses mostrou várias formas de fazer um mood board.
Puxe a cadeira e sente: no post de quinta-feira, a Eva mostrou alguns espaços lindinhos – que também têm quadro e mural!

Projeto e PAP: encontro de pássaros

Estava em viagem e não entendi nada do que aconteceu com os blogs… só vi que tinha perdido post (agora recuperado) e comentários. Voltei e vi que não foi só comigo e que todos/as entenderão o sumiço dos comentários!
Agradeço a todas/os que passaram por aqui e pelo acompanhamento à
saga das brise-brise!
A próxima está em andamento: resolvi fazer uma patchcolagem, com diferentes pássaros. Aproveito para mostrar como estou fazendo…mesmo sabendo que há muitos PAP de gente muito mais especialista que eu. Minha mãe e eu aprendemos com minha irmã Liliana! Minha Tia Guisla também faz…
1) Fiz os desenhos dos pássaros, inspirados em revistas e trabalhos anteriores.

2) Passei os desenhos para um papel mais firme: gosto de usar as embalagens de suco e leite longa vida – são fáceis de recortar e ficam firmes!

3) Com o molde desenhei sobre o papel especial para patchcolagem, no lado que, depois, será retirado. Nesse caso, usei o papel nacional. Dependendo da peça, uso o importado.

4) Com o ferro é feita a colagem no tecido – o lado da cola deve estar sobre o tecido, no lado avesso.

5) Recortar a figura, retirar o papel e fica como um adesivo para colar sobre o tecido.

6) Já estão todos colados sobre o tecido. Agora falta fazer a aplicação com a costura/bordado, bordar os galhos, fazer as folhas… vai levar um tempinho, e quando estiver pronto, eu mostro!

Pintura em seda + PAP

Já comentei sobre pintura em seda – confira aqui. Desde a mudança pro novo apartamento não tinha conseguido mais retomar. Pois foi pensando na 3ª brise-brise que retomei (era um dos meus propósitos para 2011)!
A cortina ainda não está pronta – falta costurar, mas a estampa está pronta!
Aliás, não me aguentei – é claro que uma das cortinas tinha que ter girassóis – e eles já estarão na terceira…
Vou aproveitar para mostrar como fiz essa parte. Segue um PAP.
1) Esticar o tecido (nesse caso usei voal) em um bastidor com tachinhas, deixando de 10-15 cm entre elas. 
2) Fazer o desenho com guta (delineador de tecidos). Nesse caso, usei uma transparente. Existe de várias cores.
3) Depois que a guta estiver seca, já é hora de pintar. Existem várias técnicas, mas aqui utilizei a mais simples: só molhar o pincel na aquarela para tecidos e pintar dentro dos contornos. Como ela é bem “fininha”, ela vai escorrendo por si só para os cantos, o que facilita muito!
Usei 4 tons de azul
E depois, 4 tons bem vivos para os girassóis.
3) E, pronto! Agora é só secar, tirar do bastidor e dar continuidade ao trabalho! Dependendo do trabalho – no caso de roupas, por exemplo – é preciso lavar para tirar a guta, antes de usar a peça. Nesse caso, espera-se 3 dias para fixar bem a tinta – aí é só lavar normalmente e a guta sairá.

Bom domingo a todas/os!!!

Ovos de isopor – continuando…

Lembram dos ovos de isopor? Pois é, tô com um em andamento – experimentando o patchwork embutido. A metade tá pronta…
Têm muitos PAP por aí, com certeza ótimos, de gente especialista. Não cheguei a procurar. O que vi foi o marcador de páginas que Jud fez. Mas pra quem quer começar, talvez minhas dicas de iniciante ajudem. É muito fácil! Eu me baseei apenas na explicação de 5 min que minha prima fez quando me deu uma caixa com essa técnica. Não sei como, mas nunca cheguei a ver minha irmã Liliana fazendo as bolas de Natal, também com essa técnica!
Sei que têm instrumentos mais apropriados, mas eu fiz com o que tenho em casa. Precisei de tecidos, cola branca de secagem rápida, estilete comum e um instrumento que minha avó usava para fazer flores.
É só riscar e depois fazer o corte (uns 2 milímetros) com o estilete.
Passar a cola.
Por último, corta o tecido dando uma pequena margem além do risco. Cola no local e aí “afunda” ou “embute” o tecido com uma ferramenta fina, que permita pressão sem estragar o tecido ou o isopor.
E…pronto! Agora falta fazer a outra parte, fazer o acabamento e rechear. Quando terminar, mostro!